Categorias
Eficiência Ver todos

6 práticas sustentáveis que pode aplicar à sua empresa

Para as empresas, tendo em conta as crescentes preocupações ambientais e económicas, é cada vez mais relevante a aposta em formas sustentáveis de operar, não só porque as torna energeticamente mais eficientes, como também porque lhes permite desenvolver as suas atividades numa lógica de redução de emissões de Gases com Efeito de Estufa (GEE) para o ambiente.

Ser sustentável contribui, também, para fortalecer a boa imagem das próprias empresas, uma vez que a preocupação com o meio ambiente é um dos assuntos mais abordados mundialmente pelo tecido empresarial.

1. Apostar na transformação digital

 A digitalização e analítica de dados são ferramentas cada vez mais importantes na tomada de decisão e na redução de custos das empresas, tendo em conta o crescimento constante das indústrias e da complexidade dos sistemas e processos de produção.

As empresas devem, por isso, e baseando-se na evolução tecnológica, apostar na transformação digital, para aumentar a eficiência dos processos e a reduzir desperdícios. Como? Através do desenvolvimento de sistemas de recolha e processamento de dados, que deve ser adaptada às necessidades de cada indústria.

A União Europeia reconheceu a necessidade das empresas investirem na transição digital, atribuindo um mínimo de 20% dos 672,5 mil milhões de euros do Plano de Recuperação e Resiliência a este objetivo. O Plano de Ação para a Transição Digital , incluído no PRR, define a transformação digital das empresas como um dos três pilares de atuação fundamentais para a transição digital.

Artigo relacionado: 5 dicas para reduzir os custos energéticos da sua empresa

2. Implementar uma cultura para a gestão da energia

Os sistemas de gestão de energia são ferramentas que ajudam as empresas no desenvolvimento de processos de melhoria do desempenho energético, reduzindo os custos energéticos e a emissão de GEE.

Um sistema de gestão de energia baseado na ISO 50001 é parte integrante de um sistema global de gestão de uma organização, que tem como objetivos estabelecer os sistemas e processos necessários para melhorar o desempenho energético global da organização, incluindo a utilização, consumo e eficiência energética. Esta norma internacional é aplicável a todos os tipos e dimensões de organizações.

Neste sentido, torna-se essencial que as indústrias implementem um sistema de gestão de energia sustentável e compatível com a norma ISO 50001.

3. Integrar fontes de energia renovável nas operações industriais

Começando nos produtos até à operacionalização dos processos, é importante que as empresas sigam projetos sustentáveis, baseados nas questões ambientais, sociais e económicas mais prementes. Focadas na transição energética, as indústrias podem e devem começar a operar com vista ao alcance de baixas emissões de carbono, assente em fontes renováveis.

A aposta na autoprodução a partir de energias renováveis, com a instalação de unidades de autoprodução de consumo (UPAC), deve ser um caminho a seguir, podendo ser exploradas as oportunidades decorrentes das Comunidades de Energia Renovável (CER).

Artigo relacionado: Como reduzir custos com a descarbonização

Soluções deste tipo são pensadas tendo em conta a sustentabilidade e tornam-se um incentivo para o desenvolvimento de tecnologias cada vez mais eficazes de energia renovável e protetoras do ambiente, aumentando, ao mesmo tempo, a competitividade das empresas.

4. Investir em projetos de Investigação e Desenvolvimento

Uma decisão que as empresas devem tomar é a aposta em projetos de Investigação e Desenvolvimento (I&D), em consórcio com empresas especializadas em energia e com a academia, explorando as oportunidades de incentivos existentes com a candidatura a sistemas de financiamento. A partir desta colaboração, podem surgir produtos e processos inovadores ou até alterações que se vão traduzir em benefícios económicos e mais sustentáveis para as empresas.

Este tipo de projetos ajuda as empresas no incremento da sua produtividade e competitividade. De acordo com a Agência Nacional de Inovação, o investimento em projetos de I&D é, de facto, um contributo muito importante para a inovação e um dos pilares do desenvolvimento económico.

A estratégia de inovação das empresas deve passar pelo investimento na transformação tecnológica, com o objetivo de se criarem produtos inovadores ou de se desenvolverem formas de diferenciar produtos, estabelecendo, ao mesmo tempo, métodos de produção mais eficientes que permitam reduzir os custos de operação.

5. Apostar na consultoria energética para a elaboração de planos de ação estratégicos para a energia

O conhecimento acerca das necessidades energéticas dos processos e a utilização eficiente da energia nos sistemas consumidores são as maneiras mais inteligentes de as indústrias reduzirem os consumos e os custos específicos de energia.

É preciso, de facto, conhecer para conseguir depois atuar, implementando as soluções mais adequadas a cada empresa. Para isso, é importante a aposta num parceiro de consultoria energética, que ajude, em primeiro lugar, a identificar as exigências, necessidades e oportunidades de otimização energética dessa indústria.

Artigo relacionado: Porque todas as empresas devem ter um parceiro especialista em consultoria energética?

Em segundo lugar, esse parceiro vai criar um plano de trabalho adaptado aos objetivos e metas que foram definidos, permitindo a implementação das soluções propostas ao nível da eficiência energética.

6. Criar roteiros de descarbonização e adotar estratégias de inovação, baseados na eficiência energética

As empresas devem apostar, também, na criação de roteiros de descarbonização, que contribuam para a transição energética e eletrificação dos consumos e que permitam o cumprimento dos objetivos de redução das emissões de CO2 para a atmosfera.

É, de facto, uma preocupação cada vez maior para as empresas operarem com base na eficiência energética, não só através da melhoria tecnológica dos sistemas mas também da alteração da maneira como utilizam a energia, o que lhes vai permitir, ao mesmo tempo, serem mais competitivas.

E para que consigam obter os resultados esperados a este nível, reduzindo as emissões de CO2 para a atmosfera, além dos custos de operação e dos consumos de energia, é necessário que a empresa defina uma estratégia baseada na transição e sustentabilidade energéticas, delineando objetivos a curto, médio e longo prazo de eficiência, rentabilidade e desenvolvimento sustentável.

A CCENERGIA ajuda

A CCENERGIA opera há 18 anos e define para indústrias de todos os setores um plano de melhoria da eficiência energética que as possa tornar mais rentáveis, tendo sempre em conta a sustentabilidade. O objetivo é a criação de um plano detalhado e individualizado, que vai desde a avaliação e implementação da melhor solução definida para as situações que podem ser melhoradas, até à apresentação de resultados e acompanhamento dos dados. Saiba mais sobre os serviços da CCENERGIA aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Translate »