Categorias
Descarbonização Eficiência Ver todos

Como reduzir custos na sua empresa através da descarbonização?

O contexto global em que vivemos levou muitas empresas a procurarem formas de reduzir a sua dependência energética em combustíveis fósseis, através de processos de descarbonização.

Mais do que uma forma de reduzir os custos energéticos, as empresas devem olhar para a descarbonização como um passo obrigatório na redução dos gases de efeito estufa, proporcionando um futuro mais sustentável para todos.

Na verdade, esta consciencialização para a necessidade de adotar práticas sustentáveis, que ajudem a diminuir as emissões de CO2 para a atmosfera, tem sido uma preocupação cada vez maior das empresas, agora incentivada com medidas concretas em Portugal.

Em setembro de 2022, o governo anunciou o lançamento de um Plano Extraordinário de Apoio às Indústrias num valor de 1400 milhões de euros. Entre outras, foram criadas medidas de ajuda à aceleração da eficiência e transição energéticas, com o objetivo de se fazer a passagem de uma realidade com base nos combustíveis fósseis para uma mais focada nas baixas emissões de carbono, ligada às fontes renováveis, potenciando, ao mesmo tempo, a monitorização e otimização dos consumos. Para a indústria, destaca-se o Sistema de Apoios à Descarbonização, enquadrado na prioridade Transição Climática, do Plano de Recuperação e Resiliência (Aviso N.º 03/C11-i01/2022 com dotação de 250M€).

Artigo relacionado: 5 dicas para reduzir os custos energéticos da sua empresa

Tecnologias de baixo carbono, eficiência energética e aposta em fontes renováveis

De forma a conseguirem obter os incentivos do governo que contribuem para a descarbonização, as empresas (a operarem em território nacional) devem implementar um conjunto de ações identificadas no aviso definido pelo PRR, que contribuem diretamente para a redução de emissões de GEE (Gases com Efeito de Estufa) através da diminuição do consumo de eletricidade e combustíveis.

Em relação ao desenvolvimento de processos e tecnologias de baixo carbono, é definido que as indústrias devem proceder, por exemplo, à substituição de equipamentos que recorram a consumo de gás natural ou outros combustíveis fósseis por equipamentos elétricos. Além disso, devem adaptar ou adquirir equipamentos para a incorporação de matérias-primas alternativas ou renováveis no processo de produção, que têm como objetivo a redução de consumos e de emissões.

A aposta em soluções digitais através de formas inteligentes de apoio a medição, monitorização, tratamento de dados para a gestão e otimização de processos, consumos e redução de emissões de GEE e poluentes, também deve ser um objetivo. Ao mesmo tempo, as indústrias devem operar no sentido de aumentarem a eficiência na utilização de recursos, como matérias-primas, água e energia, promovendo a sua circularidade.

Nos projetos que envolvem medidas de eficiência energética, as indústrias devem delinear planos de otimização para os diferentes sistemas e equipamentos consumidores de energia, de forma a melhorar o desempenho global energético.

Artigo relacionado: Como a redução de custos de energia pode preparar a sua empresa para o futuro

Ao nível da incorporação de energia de fontes renováveis e armazenamento de energia, as indústrias devem proceder à avaliação das melhores oportunidades para a transição energética, explorando as oportunidades de autoprodução de energia elétrica ou a utilização de combustíveis de origem renovável.

Deve ser explorada a oportunidade de adaptação de equipamentos para uso de combustíveis renováveis, tendo em conta os que são provenientes de resíduos e gases renováveis como o hidrogénio verde, e a instalação de sistemas de cogeração de elevada eficiência baseados exclusivamente em fontes de energia renovável e de armazenamento de energia de origem renovável.

Artigo relacionado: Porque todas as empresas devem ter um parceiro especialista em consultoria energética?

A aposta na combinação da autoprodução de energia elétrica e a eletrificação dos sistemas conduz a várias vantagens ao nível da eficiência energética dos equipamentos, ajudando na descarbonização e reduzindo os custos operacionais, além de impulsionar o fortalecimento da independência energética.

A eficiência energética e a neutralidade carbónica – que impulsionam, também, a competitividade das indústrias – devem caminhar lado a lado com a digitalização, na atualização tecnológica das instalações e aposta em soluções inovadoras, mas também no investimento em novos modelos de negócio.

Sobre a CCENERGIA

A operar há 18 anos nas áreas da sustentabilidade e da transição energética, a CCENERGIA é uma empresa de consultoria e serviços integrados de energia, com monitorização e entrega de resultados. Ao longo destes anos, ajudou cerca de 200 empresas a reduzirem os seus consumos em mais de 100.000 TEP (Toneladas Equivalentes de Petróleo) e as emissões em mais de 200.000 toneladas de CO2, conseguindo obter poupanças na ordem dos 50 milhões de euros. Saiba mais sobre os serviços da CCENERGIA aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Translate »