Possíveis ganhos de eficiência no setor alimentar

Possíveis ganhos de eficiência no setor alimentar

A indústria alimentar é considerada a maior indústria portuguesa devido ao seu volume de negócios - em 2020, foi aproximadamente de 11.699 milhões de euros, representando 15,3% do total da Indústria Transformadora. Só em Portugal, nesse mesmo ano, este setor possuía mais de 7 mil empresas e mais de 90 mil pessoas ao serviço.

Além disso, de acordo com o balanço energético de 2020, o setor alimentar é responsável por cerca de 11% do consumo global de energia na indústria transformadora.

Por isso mesmo, é importante que as empresas deste setor utilizem a energia da melhor forma possível, de forma a tornarem-se mais eficientes sem perderem, ao mesmo tempo, rentabilidade.

A Indústria Alimentar, com a Classificação de Atividade Económica pertencente à divisão 10 (CAE 10) é composta por 9 subsetores com o objetivo de transformar as matérias-primas em bens alimentares.

A CCENERGIA, que tem uma larga experiência neste setor, realizou uma análise detalhada das subclasses do setor alimentar que representam 79% do universo relativo a empresas e 72% do volume de negócios deste mesmo setor.

Artigo relacionado: Como a redução de custos de energia pode preparar a sua empresa para o futuro

Essa análise inclui, por exemplo, a descrição dos principais processos produtivos utilizados, a caraterização das formas de energia utilizadas, dos indicadores de desempenho relevantes da atividade e das medidas de economia de energia mais frequentes, bem como a experiência da CCENERGIA neste setor.

Como obter ganhos de eficiência energética no setor Alimentar

Até 2021, a CCENERGIA efetuou 53 serviços de caraterização energética no setor alimentar para 32 clientes diferenciados.

Relativamente ao número de serviços no âmbito do regulamento SGCIE (Sistema de Gestão dos Consumos Intensivos de Energia, que tem como objetivo promover a eficiência energética e monitorizar os consumos energéticos das instalações consumidoras intensivas de energia), foram efetuadas 29 auditorias energéticas para 22 clientes diferenciados.

As subclasses mais intervencionadas pela CCENERGIA ao nível do SGCIE foram as Subclasses 10510 - Indústrias do leite e derivados; 10201 - Preparação de produtos da pesca e da aquicultura; 10391 - Congelação de frutos e de produtos hortícolas; 10611 - Moagem de cereais; e 10912 - Fabricação de alimentos para animais de criação.

Ganhos e poupanças energéticas na subclasse da moagem de cereais (CAE 10611)

Por exemplo, na subclasse 10611 - Moagem de Cereais, a energia elétrica corresponde a cerca de 92% da energia total utilizada neste setor. A CCENERGIA neste tipo de indústria identificou oportunidades de redução do consumo de energia da ordem dos 9% dos consumos globais, com um período de retorno do investimento da ordem dos 3,4 anos. As áreas tecnológicas mais relevantes ao nível de otimização energética são o ar comprimido e força motriz, essencialmente na componente de ventilação.

Entre as 6 medidas mais frequentes e que apresentam maior potencial de economia do consumo de energia primária, estão, por exemplo:

  • a instalação de variadores eletrónicos de velocidade em motores elétricos;
  • a substituição de motores elétricos convencionais por motores de alto rendimento;
  • a eliminação de fugas de ar comprimido;
  • A implementação de sistemas de gestão de energia.

Ganhos e poupanças energéticas na subclasse da fabricação de alimentos para animais de criação (CAE 10912)

Na subclasse 10912 – Fabricação de alimentos para criação, a energia elétrica corresponde a cerca de 66% da energia total utilizada neste setor, com a utilização de diferentes formas de energia para a produção de energia térmica (normalmente na forma de vapor).

Artigo relacionado: Por que todas as empresas devem ter um parceiro especialista em consultoria energética?

A CCENERGIA, neste tipo de indústria, identificou oportunidades de redução do consumo de energia na ordem dos 14% dos consumos globais, com um período de retorno do investimento inferior a 5 anos. As áreas tecnológicas mais relevantes ao nível de otimização energética são os sistemas de produção e utilização de vapor, assim como a força motriz.

Entre as 5 medidas mais comuns e com maior potencial de economia do consumo de energia primária nesta subclasse, incluem-se:

  • a instalação de compressores de ar comprimido com variação eletrónica de velocidade;
  • a afinação dos queimadores das caldeiras;
  • o isolamento de tubagens e válvulas;
  • a eliminação de fugas de ar comprimido.

A CCENERGIA

Com base na sua experiência, a CCENERGIA elaborou um documento que permite a compreensão do setor Alimentar em diferentes aspetos, seja ao nível da representatividade do setor, do número de empresas ou da experiência e resultados alcançados nas diferentes subclasses. O contexto interno é baseado na análise da experiência da CCENERGIA no âmbito das auditorias SGCIE. Se a sua empresa opera no setor alimentar, faça um pedido de consultoria e descubra quanto pode poupar.

CCENERGIA - Guia Eficiência Energética nas Empresas

Translate »